Check list para criar seu plano de sustentabilidade financeira
27 de Dezembro de 2016 às 08:30
Fim de ano é também o momento de avaliar os resultados atingidos pela sua organização e se preparar para o ano seguinte. Eis aqui 10 itens para revisar se seu plano para o ano que vem é consistente:
 
  1. Baseie seu plano em capacidades internas – saiba com que recursos você conta, quais os talentos e capacidades você já possui e qual sua proposta para o mundo. Considere não apenas as habilidades e talentos do captador de recursos, mas de toda a equipe. Quem não sabe usar bem os recursos que tem, encontra mais dificuldade em buscar o recurso de que precisa;
  2. Baseie seu plano numa análise do contexto externo – Faça um mapeamento das condições para mobilizar recursos na sua cidade/região, tanto com indivíduos quanto com empresas. Tome decisões com base em dados, não em suposições. Por exemplo – quais são as maiores empresas doadoras/investidoras em sua cidade? Quantas e quais empresas doam para projetos do Fundo da Criança (FUMCAD) local? Quantas e quais empresas da sua região doam para projetos incentivados da Lei Rouanet?;
  3. Seja ousado, mas realista – suas metas não devem ser nem tão singelas que são fáceis de atingir nem tão ambiciosas que se tornam inalcançáveis;
  4. Diversifique suas estratégias – sua maior fonte de financiamento não pode significar mais do que 30% dos seus recursos. Teste diversas possibilidades até encontrar as estratégias mais adequadas para sua organização;
  5. Se comprometa com de resultados de curto, médio e longo prazo – defina estratégias que gerem receitas no curto prazo (eventos, cofrinhos, nota fiscal) médio prazo (editais, indivíduos) e longo prazo (parcerias mais estruturadas). Um bom mix de receitas é composto por todas essas alternativas;
  6. Estabeleça metas com lógica – Quando estabelecer metas, encontre uma lógica, seja considerando o seu histórico passado, seja considerando métricas do mercado, para casos semelhantes;
  7. Registre e Sistematize sua experiência e ofereça ajuda – toda sua experiência é conhecimento que poderá ser utilizado por outras pessoas que vierem depois de você nessa função. Não perca de vista a importância da sistematização da experiência e de compartilhar com os outros;
  8. Aprenda com a experiência dos outros e peça ajuda – quando precisar, peça ajuda a seus pares. Saiba que, no momento que você testa algo, outras pessoas antes de você já testaram e você pode aprender com essa experiência passada;
  9. Equilibre planejamento e ação – Planeje o suficiente para ter consistência, e depois vá para a ação;
  10. Invista no seu desenvolvimento – continue aprendendo. Hoje em dia, há grande quantidade de conhecimento disponível gratuitamente na Internet. Explore alternativas de formação e troca.
Bom trabalho e um ótimo 2017 para você e sua organização.

 
Rodrigo Alvarez é Sócio Proprietário da Mobiliza. Administrador de Empresas, com Especialização em Fundraising pela Indiana Fundraising School, formação em Processos de Desenvolvimento pelo PROFIDES/Instituto Fonte e em Pedagogia Social pela Associação Brasileira de Pedagogia Social de Base Antroposófica. Atua há 20 anos com gestão e captação de recursos. Foi um dos fundadores da ABCR – Associação Brasileira de Captadores de Recursos e é membro do Conselho Consultivo do Rogare – Centro de estudos internacional que pesquisa, entre outras coisas, sobre o futuro da captação de recursos no mundo.


Publicado por

Notícias mais populares

Gestão
Em agosto de 2017, a revista ÉPOCA e o Instituto Doar divulgaram a primeira ediç&...
Contexto e tendências
Criado para tornar mais transparentes as parcerias entre a administração públic...
Profissional captador
A captação de recursos é fundamental para a sustentabilidade de uma organiza&cc...