#Diadedoar: organizações falam de ações para a data e dão dicas para quem quiser se mobilizar
16 de Novembro de 2016 às 07:00

O #diadedoar é uma campanha de mobilização nacional que, desde 2013, busca promover a cultura de doação no Brasil. A inspiração veio do #GivingTuesday, criado no Estados Unidos em 2012 como um contraponto filantrópico à Black Friday, famosa data comercial. Neste ano, o #diadedoar cairá em 29 de novembro, ocasião perfeita tanto para mobilizar as pessoas sobre a importância da doação quanto para pedir que elas efetivamente contribuam. Se parece estar muito em cima da hora, saiba que ainda há tempo suficiente para quem quiser pensar em ações associadas à campanha.

"O brasileiro é solidário, mas falta ser provocado a doar. A data é um mote perfeito para pedir", ressalta Sara Queiroz, líder na Base Colaborativa, organização catalisadora de projetos de impacto social.

Pela segunda vez, a instituição irá realizar sua festa de final de ano no #diadedoar. "Conseguimos, assim, atrair mais público. Em 2015, tivemos 300 convidados e levantamos cerca R$ 10 mil — detalhe: o evento foi organizado em apenas 30 dias. Neste ano, esperamos vender entre 500 e 700 convites", diz Sara, que entrega a chave do sucesso: parcerias!

"Nós batemos na porta de diversos fornecedores para obter o máximo possível de coisas sem custo para a Base. No ano passado, conseguimos praticamente tudo de graça", revela Sara.

Se a Base concentra esforços no 29 de novembro, a Acorde —  que desenvolve projetos com crianças, jovens e adultos na região do Embu (São Paulo) — realiza suas ações ao longo do mês.

Entre as iniciativas, há, inclusive, um projeto social criado pela Base, o PORCausa, que distribui cofres em forma de porquinho para incentivar doações. "Entregamos cofrinhos e banners do #diadedoar em 12 estabelecimentos da região. Mais importante do que levantar dinheiro, no entanto, é promover, com informações, a cultura de doação", diz Cris Oestreicher, coordenadora de comunicação e mobilização da Acorde.

Outra estratégia da organização é envolver seu público interno em ações. Integrantes do grupo de dança da Acorde, por exemplo, vão doar uma apresentação para um asilo. Os jovens também estão envolvidos em uma campanha de doação de brinquedos para crianças.

Cris também destaca que o pouco tempo não é impedimento para quem quiser começar agora uma ação vinculada ao #diadedoar, já que o site da campanha disponibiliza materiais de divulgação prontos. “Há muita liberdade, pense em algo que faça sentido. Um escritório de advocacia que eu conheço, por exemplo, fica ao lado de um hospital e, no ano passado, fez uma mobilização para doar sangue na data”.

Já o Instituto Alexandre e Heloisa Beldi (IAHB), ligado a um grupo empresarial, também decidiu agir durante o mês de novembro e mobilizar o público com o qual trabalha, no caso, organizações da sociedade civil que passam por qualificação de gestão. O objetivo: transformar uma cidade inteira — Sorocaba — em doadora.

"No ano passado, já havíamos incentivado empresas do grupo a participar do #diadedoar. Agora, estamos mobilizando nossa rede de organizações para uma campanha municipal de doação", explica Raquel Barbosa, consultora de projetos do IAHB.

O instituto contou com a colaboração da agência de publicidade Atua, que criou voluntariamente todo material para a campanha #doasorocaba. Mesmo assim, Raquel destaca que as entidades envolvidas são incentivadas a usar também o material disponível no site do #diadedoar.

O caso do IAHB reforça outra maneira de atuar em torno da data e fortalecer o objetivo primordial da campanha: a mobilização de uma ampla rede de instituições que disseminem a importância do ato de doar.


Notícias mais populares

Profissional captador
A captação de recursos é fundamental para a sustentabilidade de uma organiza&cc...
Fontes e técnicas
Não importa se é um jantar, um bazar ou um leilão. Eventos de captaç&ati...