Eventos podem ser fonte de renda para organizações sociais
27 de Setembro de 2016 às 08:00
Festas, jantares, leilões e premiações são bons momentos para descontrair e encontrar conhecidos. E também podem ser importantes ferramentas de captação de recursos ou de chamar atenção para o trabalho de organizações da sociedade civil.“Eventos são perfeitos para colocar as pessoas mais perto de uma causa de uma maneira festiva”, resume Regina Helou, fundadora do Projeto Velho Amigo, que atua com idosos e que, desde a fundação, em 1999, arrecada 100% de seus recursos dessa forma. “É um jeito de fazer potenciais apoiadores olharem a causa de uma forma gostosa. Se a experiência foi boa, as pessoas querem repetir”, diz ela, especializada em assessoria nessa área e responsável por um blog com dicas sobre o tema.

No Velho Amigo, a iniciativa consiste em realizar o Les Chefs et Décor, no qual cozinheiros estrelados fazem jantares em ambientes produzidos por decoradores famosos, com uma lista de convidados que inclui artistas, empresários e frequentadores de colunas sociais. 

Para reunir um público tão eclético, Regina recorre a diretores voluntários e conselheiros na mobilização. “Tem de usar a rede de relacionamento deles, e sempre diversificar os convidados”.


Parceria na redução de despesas

O ideal, recomenda Regina, é que o custo do evento fique em 30% do total arrecadado — o restante financia a organização social. Mas como fazer isso, se os valores envolvendo realização de festas e jantares não costumam ser baixos? Parcerias e doações são fundamentais.

Tome o caso da Associação Santo Agostinho (Asa), que atua com crianças, adolescentes e idosos. A entidade está preparando o ASA Game Dinner, que une alta culinária, causa social e prêmios como viagens ao exterior, vestidos de estilistas famosos e joias. “Todos os prêmios foram doados por parceiros que conhecem e acreditam em nosso trabalho”, conta a superintendente executiva, Celia Tilkian. A organização também conta com a ajuda de voluntárias.

Regina sugere parcerias para diminuir os gastos com dois itens cujo preço costuma ser especialmente salgado: locação de espaço e buffet. “Ofereça, por exemplo, espaço em banners, convites ou a possibilidade de contato com empresários.”

Terminado o evento, é hora de prestar contas. “No máximo em três dias, os convidados devem receber um agradecimento pela participação e uma prestação de contas, nem que seja simplificada”, afirma Regina.

A prestação pode incluir, por exemplo, valor arrecadado e algum destaque no plano de investimentos a ser feito com apoio desse recurso. De qualquer modo, o mais importante, lembra Célia, é desenvolver um bom trabalho. Se o evento for impecável, o trabalho ao longo do ano todo também tem de ser.


Notícias mais populares

Contexto e tendências
Ficamos felizes em te receber aqui na Captamos, este espaço online que tem como missã...